sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Nicolau de Chanterene (c. 1470/1485 – 1551)

Portal Ocidental (1517, Mosteiro dos Jerónimos, Lisboa)
-
Túmulo de D. João de Noronha e D. Isabel de Sousa (Igreja de Santa Maria, Óbidos)
-
Túmulo de D. Afonso Henriques (Igreja do Mosteiro de Santa Cruz, Coimbra)
-
Retábulo (1528-1532, Palácio Nacional da Pena, Sintra)
-
A Virgem e o Menino (1540, Museu de Évora)
-
Nicolau de Chanterene (c. 1485 – 1551) foi um escultor Renascentista, de origem francesa que desenvolveu grande parte da sua obra em Portugal, entre os anos de 1517 e 1551. Em Portugal, a primeira referência é como responsável pela porta axial do Mosteiro de Santa Maria de Belém, onde esculpiu os episódios alusivos à Vida da Virgem e os retratos régios de D. Manuel I e de D. Maria. Em 1519, o rei D. Manuel nomeou-o Imaginario de Pedraria. Trabalhou em Óbidos e Coimbra. A sua produção coimbrã inclui o retábulo da igreja monástica de São Marcos (1523-1524); o portal do antecoro do mosteiro de Santa Maria de Celas (1526); o retábulo de São Pedro da capela funerária de D. Jorge de Almeida, na Sé Velha (c. 1526); e a correcção das estátuas jacentes dos Túmulos Reais de D. Afonso Henriques e D. Sancho I. Outras obras suas encontram-se no Mosteiro de Tentúgal e no Convento da Pena (hoje Palácio) (1528-1532). Entre 1536-1540, esteve em Évora, onde conviveu com a corte de D. João III e com intelectuais humanistas. Nessa cidade subsistem agumas obras que lhe são atribuídas, entre as quais, o túmulo de D. Álvaro da Costa (1535), as pilastras do refeitório do convento do Paraíso (1533) e o cenotáfio de D. Afonso de Portugal (c. 1540-1542), no Museu de Évora.
-
Cf. Wikipédia e Matriznet.
Para aprofundar: Pedro Dias, Nicolau de Chanterene Escultor da Renascença, Lisboa, Publicaçoes Ciéncia e vVda, 1987; Fernando Grilo, Nicolau Chanterene e a afirmação da escultura do Renascimento na Península Ibérica (c.1511-1551), FL-UL, 2000 (Tese de Doutoramento); Francisco Henriques, O retábulo da Pena de Nicolau Chanterene: geometria e significação, FBA-UL, 2006 (Dissertação de Mestrado).
-
Nicolau Chantereine (c.1470/1485 – 1551) was a French Renaissance sculptor who worked mainly in Portugal. By January 1517 he and an assistant were at work as master contractors at the western portal of the Jerónimos Monastery in Belém. This was probably his first assignment in Portugal. He left in 1518 to Coimbra, one of the main artistic centres of Portugal. He would work there at the renovation of the Augustinian Santa Cruz Monastery. In 1519 king Manuel I appointed him his personal sculptor (Imaginario de Pedraria) with the accompanying pension and privileges. In 1522 he got a commission for a retable for the Monastery of São Marcos de Tentúgal (near Coimbra). In 1526 he sculpted the arch over the door between the cloister and the chapter house of the Mosteiro de Celas in Coimbra. Later he worked at the retable of the chapel Nossa Senhora da Pena in Sintra. From 1533 he stayed at the court in Évora, entering in contact with noblemen, humanists and the highest ecclesiastical ranks. In 1537 he sculpted the tomb for the archbishop of Évora, Dom Afonso de Portugal, and the marble grave of D. Duarte da Costa, governor of Brazil, both now on display at the museum of Évora.
-
Cf. Wikipedia.

Sem comentários:

Publicar um comentário